Postado em 12 de fevereiro de 2020

Otite

Otite

As otites são bastante frequentes em cães, representando de 8 a 15% dos atendimentos nas clínicas veterinárias no Brasil. (e quase 40% dos atendimentos dermatológicos). A otite é uma patologia multifatorial, ou seja, pode ser causada por vários motivos ao mesmo tempo.

Como eu sei que o meu cão está com otite?

Se o seu amigo está balançando a cabeça ou coçando as orelhas com frequência, examine as orelhas com cuidado e observe se há dor quando você toca nas orelhas, se você percebe algum mau cheiro, se a resposta for sim, está na hora de fazer uma visita ao veterinário.

Por que meu cão está com otite?

Existem três fatores possíveis envolvidos no surgimento e cronificação da otite, que são:

1. Fatores primários: São os fatores que iniciam a inflamação, pelo menos uma dessas causas está sempre envolvida no surgimento da otite. São eles:

Parasitas: carrapatos e ácaros (sarnas). Corpo estranho: como sementes, farpas de plantas, carrapatos (caídos dentro do ouvido), e pêlos. Distúrbios de queratinização: são doenças de pele que provocam excesso de oleosidade e caspas nas orelhas – esta é uma alteração é muito comum em cocker e labrador. Pólipos e tumores : Ocorrem mais comumente em cães idosos.Normalmente causam otite em apenas uma das orelhas.

Dermatite alérgica:as alergias são as causas mais comuns de otite em cães.Os sintomas mais comuns, são lamber as patas, esfregar a face e arrastar a região posterior no chão.

2. Fatores predisponentes: São fatores que sozinhos não causam otite, mas podem aumentar a probabilidade de ocorrer. São exemplos: orelhas longas como a do pastor alemão são mais vulneráveis para entrada de corpo estranho. Orelha pregueada como a do sharpei, diminui a circulação de ar no conduto audivo além de dificultar o tratamento. Assim como as orelhas com muito pêlo como a do poodle, são mais predispostas.

O excesso de umidade no conduto auditivo pode favorecer o crescimento de fungos e bactérias.

O uso de hastes de algodão (cotonete), e o arrancamento de pêlos do conduto auditivo podem machucar as orelhas e facilitar a instalação da infecção.

3. Fatores perpetuantes: são aqueles que favorecem que a inflamação e a irritação continuem mesmo que o fator primário seja retirado. As infecções fúngicas e bacterianas são os fatores perpetuantes mais comuns.

Então, depois do exposto acima, podemos compreender que não basta tratar a otite com medicação otológica, é necessário procurar a sua causa primária.

É muito importante que haja confiança e colaboração entre veterinário, proprietário e paciente, para o sucesso do tratamento.

Então aí vão algumas dicas para prevenir a otite:

Coloque algodão parafinado (adquiridos em farmácias de manipulação) nas orelhas, antes dos banhos.

Nunca utilize hastes de algodão dentro das orelhas, limpe somente as regiões que seus olhos podem ver. Utilize para fazer limpeza somente algodão umedecido em água, com temperatura ambiente.

Se você perceber que seu cão está com otite, não utilize nenhuma medicação sem orientação do veterinário, pois se não for tratada por tempo suficiente, nem forem retiradas as causas primárias, ela vai se cronificar, podendo ficar resistente aos antibióticos, além do risco de deixar seu bichinho surdo.

Dúvidas? Clique aqui. (62) 98116-8255