Postado em 12 de fevereiro de 2020

Dermatite Alérgica

Dermatite Alérgica

Alergia é uma resposta exagerada do sistema imunológico a uma substância estranha ao organismo.

Os humanos e gatos apresentam mais comumente alergias respiratórias (asma, bronquite, rinite), enquanto que os cães em geral, apresentam sintomas cutâneos ou seja dermatite alérgica.

O principal sinal da dermatite alérgica é o prurido (coceira). É muito comum o animal alérgico mordiscar ou lamber as patas,coçar as orelhas e olhos com frequência. É importante lembrar que nem todo animal que se coça intensamente é alérgico.

Existem três tipos principais de dermatite alérgica nos cães e gatos:

1. DAPE. Dermatite alérgica a picada de ectoparasitas (pulgas e carrapatos)

A alergia a ectoparasitas pode causar reação não só no local da picada, mas também em outras áreas, e mesmo quantidades pequenas de pulgas ou carrapatos podem desencadear reações acentuadas.

A única forma de evitar a crise alérgica nos animais que têm DAPE é realizando controle de ectoparasitas no animal e ambiental de forma preventiva.

2. Alergia alimentar

A alergia alimentar normalmente é provocada por proteínas presentes nos alimentos. Desta forma, o teste para alergia alimentar é realizado testando alimentos que possuem proteínas que o animal nunca comeu, e por isso provavelmente ainda não é alérgico.

Durante o tempo de dieta para alergia alimentar, é muito importante oferecer ao nosso amigo somente a alimentação prescrita, tendo cuidado para ele não comer outros alimentos ( mesmo em pequenas quantidades), e nem oferecer a ele petiscos (ossinhos,bifinhos,queijo,dentre outros).

3. Atopia

Atopia é uma predisposição genética a alergia a substâncias ambientais, por exemplo ácaros e poeira doméstica, pólen, vegetais, esporos de fungos e às próprias bactérias que compõem a flora de proteção da pele saudável.

Trata-se da dermatopatia alérgica mais comum. Estima-se que 10% da população canina seja atópica.

O diagnóstico das dermatopatias alérgicas é difícil, pois os sintomas das três formas são idênticos e não existe exame específico para se determinar qual delas está acometendo nosso animal. Por isso são realizados testes para se firmar o chamado diagnóstico por exclusão, ou seja, concluir qual é a alergia, excluindo as demais. Para isso é necessário uma coleta extensa de informações por parte do veterinário e esclarecimento das dúvidas do proprietário, pois o sucesso só é obtido com uma boa investigação e troca de informações por parte do veterinário e proprietário, além de muita disciplina para se concluir os testes.

Os testes alérgicos intradérmicos (onde é inoculado na pele alérgenos, para se testar a sensibilidade), é uma ferramenta útil no tratamento da atopia e não um meio de diagnóstico das alergias. Isso porque muitas vezes o teste é positivo para um determinado alérgeno, porém tal alérgeno não está associado aos sintomas. Assim sendo, após concluído o diagnostico por exclusão , e confirmada a atopia, o teste intradérmico, pode ser realizado para que se faça vacina na tentativa de dissenbilizar o animal ao antígeno testado .

Saiba que:

Os animais atópicos devem ser retirados da reprodução, pois a probabilidade dos pais transmitirem a afecção aos filhotes é alta.

A pele do atópico além de reagir mais intensamente as substâncias ambientais, possui alterações estruturais, sendo mais seca e mais permeável à entrada dos alérgenos, por isso é muito importante a hidratação. Não utilize secador quente, nem banhos com sabão de coco, pois isto irá provocar ou piorar o ressecamento da pele.

Estratégias úteis para controlar ou diminuir o prurido:

  • A limpeza periódica da casa com aspirador de pó (usando filtros novos);
  • Retirar carpetes, tapetes e cortinas;
  • Fazer controle mensal de pulgas e carrapatos, pois os atópicos tem alergia a ectoparasitas;
  • Limpeza do ambiente com fungicida ou hipoclorito de sódio;
  • Restrição ao contato com a grama molhada ou recém podada;
  •  Evitar que o animal fique em locais úmidos ou mofados;
  • Durante a limpeza retirar o animal do ambiente;
  • Se ele dormir em caminhas, colocá-la no sol diariamente, por alguns minutos.

Dúvidas? Clique aqui. (62) 98116-8255